Aplicação de Plasma Rico em Plaquetas

O Dr. Adriano Leonardi nos explica sobre a cura feita pelo próprio Sangue, algo que a mídia tem voltado a atenção para o Público há algum tempo. Confira abaixo!

O PRP é um novo procedimento, baseado numa idéia revolucionária: Injetar nas lesões dos atletas e pacientes em geral, uma concentração de células reparadoras do seu próprio sangue. Este concentrado que é principalmente de plaquetas (daí o nome: plasma rico em plaquetas ) contém as substâncias que ajudam a reparar tecidos, os “fatores de regeneração tecidual”, nossos fatores de cicatrização e crescimento celular. Logo, o tratamento, que era chamado “fator de crescimento” (hoje renomeado por levar a entender e confundir com GH- hormônio de crescimento que é dopping e proibido para utilização na melhora do desempenho em atletas) foi difundido para tantos usos e tratamentos como se fosse a saída para todas as lesões.

Plasma rico em plaquetas

As injeções podem ter efeitos variáveis sobre as diferentes lesões nos corpo, sobre os diferentes caracteres físicos e clínicos de cada ser humano, não podendo assim ser banalizada e indicada sem critério. Além disso, existe várias técnicas que fazem as aplicações serem mais ou menos eficazes dependendo do kit e empresa utilizada, dependendo da concentração adquirida das plaquetas, fora que muda o resultado nos diferentes tecidos, ou seja,  trabalhos publicados no “American Journal of Sports Medicine e The Journal of American Medical Association”, conclui que as aplicações podem ajudar na cicatrizações de determinadas lesões como  epicondilites , rupturas musculares e tendinosas agudas, mas nem tanto em tendões de Aquiles degenerados ou tendinopatias calcáreas do ombro, por exemplo. Daí a necessidade de avaliação médica e indicação correta.
    

Tendões de Aquiles degenerados ou tendinopatias calcáreas do ombro    

O procedimento geralmente não é autorizado pelos convênios, já que a técnica é recente e sem comprovações científicas nacionais, apesar dos resultados positivos que temos e vemos em congressos, ainda não temos documentação e seguimentos em longo prazo o que leva ainda a falta credibilidade e aceitação pelos mais céticos. Mas o lado positivo é que o custo diminuiu bastante comparado aos anos anteriores e a aplicação é feita em regime de hospital Day (nos casos não cirúrgicos)

Corredores e atletas em geral tem muitas lesões nos  tendões e músculos que é o  foco da maioria dos estudos que temos no Brasil e como essa cicatrização é lenta e faz com que permaneçam longos períodos afastados do esporte, a técnica trouxe uma esperança na aceleração da recuperação da lesão e retorno à prática, mas vale mais uma vez lembrar que a indicação é médica e criteriosa principalmente nos casos de lesões ligamentares, cartilaginosas e fraturas.

A reportagem mostrada domingo dia 10/01/2010 no esporte espetacular com o título “Técnica revolucionária melhora índice de recuperação de lesões”  tem muitos pontos positivos e vale ressaltar também os negativos para que possamos agir de “MENTE ABERTA SIM, MAS OLHOS ATENTOS” para decidirmos de forma coerente e individual averiguando o que é melhor para cada lesão e cada indivíduo.

O comitê de traumatologia esportiva (www.abtd.org.br) está há muito tempo lutando pela implementação séria deste procedimento, com evidências, colocando todos os pontos positivos e negativos, e esperamos que esta aplicação seja realmente comprovada e devidamente autorizada, como estamos vendo nos resultados e nas discussões em congressos como sendo: mais um fator adjuvante no tratamento de lesões.

Dr. Adriano Leonardi
www.taktos.com.br / www.medicinadaaventura.com.br
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Praticante entusiasta de Mountain bike, trekking e de mergulho autônomo.
Médico ortopedista especialista em traumatologia do esporte, cirurgia do joelho e wilderness medicine.Diretor clínico da Taktos Medicina esportiva.
Sócio fundador do grupo Medicina da aventura.



 
Rua Augusto Ribeiro, n°20 - Campo Belo - São Paulo - Sp - Cep:04614-020 - Fone: 55 11 5021 3858

Desenvolvido por WebSocorro Internet & Multimidia